Informativo

Um eminente aikidoka conta-nos sobre o Kaiso - Yoshihiro Masuzawa


  Para explicar o que é o Budô Mestre Shioda achou mais fácil citar um dos muitos exemplos do modus vivendi do Kaisso. Diz ele: "No Budô (caminho marcial), há outra diferença em relação ao esporte. No esporte e noutras práticas competitivas procura-se elevar, ao máximo, a condição física, visando a uma prova. Mas, no Aikido, que é Budô, não importa o lugar e a hora. Por exemplo, mesmo estando embriagado ou enfermo, na hora "h", é preciso colocar a sua condição no ponto máximo. Não há lugar para desculpas como não estar se sentindo bem. A esse respeito, o que mais me impressionou foi o caso do velho Mestre Ueshiba. Foi por volta de 1940. O almirante Issamu Takeshita, que, na época, era o presidente da Academia Ueshiba, pediu ao Mestre que fizesse uma demonstração aos parentes do Imperador no Saineikan. Em princípio, o Mestre recusou o pedido, argumentando que no Aikido a contenda se define num único instante, sendo impossível haver um segundo ataque. Se isto acontecer será uma falsidade.

  Era inadmissível mostrar uma mentira à corte. Mas, cedeu à insistência do almirante e concordou em ir ao Saineikan. Os acompanhantes do Mestre para esta ocasião eram dois, o já falecido Sr. Yugawa, um alto discípulo seu, e eu. Ocorre que o Mestre foi acometido por uma forte icterícia e estava, há uns dez dias, praticamente, sem comer, ingerindo só água. Estava debilitado e não podia mover-se a ponto de ter que se apoiar em nós, tanto para vestir-se como para caminhar. Olhamos um ao outro, preocupados com o seu estado e se estaria em condições de dar conta da demonstração. Mesmo assim, a duras penas entrou no automóvel que nos foi enviado e chegou no Saineikan, escorado em nós para sair do carro e, também, para andar. Da passarela, ao avistar os membros da família imperial, subitamente, os seus olhos passaram a brilhar intensamente e sua aparência tornou-se imponente e entrou ágil no Dojo. Após respeitoso cumprimento, finalmente, iniciou a demonstração. Estava determinado que a demonstração duraria 40 minutos e que Sr. Yugawa seria o Uke dos primeiros 20 minutos e eu, do tempo restante.

  Senti que Sr. Yugawa atacou dosando a força em consideração ao estado do Mestre. Só que a força do Ki do Mestre estava culminante. Num piscar de olhos o corpo dele voou e ficou imóvel, encolhido sobre o tatami. Corri, por reflexo, para ele e observei o seu braço quebrado. Que situação! Eu fui obrigado a enfrentar, sozinho, 40 minutos de Uke. Aliviar seria o fim. Avancei com todas as minhas forças sobre o Mestre. Subia pelos ares e ao pousar no tatami partia sobre ele. Ele me pregava no chão. Ficando livre, atacava em seguida e era arremessado. Pude, enfim, com uma furiosa energia, cumprir, a desesperada missão. Após o evento, tive uma febre alta que me deixou acamado por uma semana, aproximadamente.

  Foi, simplesmente, espantosa a transformação do Mestre de antes para durante a demonstração. Assim, vi, de fato, que um verdadeiro praticante do Budô, mesmo estando em piores condições físicas, numa emergência, é capaz de colocar-se no ápice. Foi um ensinamento. Esta rigorosa consciência torna diferente o Budô do esporte bem como de outras práticas competitivas.

  Também, dizia-nos o Mestre, reiteradas vezes que terá alcançado o máximo de sua força no instante da sua morte. De fato, presenciei que o que dizia era verdade, pouco antes do seu falecimento, quando o visitei, estando ele acamado. Por mais grave que estivesse o seu estado de saúde, o Mestre sempre foi ao banheiro sozinho. Num desses momentos em que o Mestre se esforçava para levantar-se, quatro dos alunos que sabiam, que o seu passamento estava próximo, foram segurar-lhes os braços em pele e osso. O Mestre sacudiu os seus braços, recusando a ajuda, e com isso os quatro robustos alunos foram arremessados para o jardim dos fundos (*). O Mestre foi um verdadeiro marte até o fim".

  N.T. (*) As paredes da habitação tradicional japonesa são compostas de placas de tábuas que são removidas para permitir a ventilação nos dias de calor. (Do livro "Aikido Jinsei", págs. 27 a 30, de Gozo Shioda, EditoraTakeuchi Shoten Shinsha,Tokyo) O Autor: Gozo Shioda (1915 - 1994). Fundou a Aikido Yoshinkan em 1956. Graduado 9. dan em 1961 pelo Mestre Morihei Ueshiba. Em 1985, graduado 10o dan pelo Kokussai Budô-in. Graduado Meijin em 1988 pelo Kokussai Budô-in. Texto traduzido em homenagem ao Mestre Supremo, no trigésimo ano do seu falecimento. Abril de 1999.


FEPAI - Federação Paulista de Aikido - 2008 - Designer: kátia numakura