Informativo

Sobre as Graduações de Aikido - Prof. Makoto Nishida (Diretor Técnico da Fepai)


  No Aikido, as graduações são concedidas avaliando-se as qualidades técnicas, o grau de afinco aos treinos e o perfil moral do praticante.

  Como já dever ser do conhecimento de todos, na Federação Paulista de Aikido, os praticantes com tempo de treino além do mínimo determinado são avaliados tecnicamente por árbitros nomeados com base nas graduações pelo diretor de árbitros. Para avaliar praticantes até o 3º kyu, os árbitros devem ser pelo menos do 1º dan. Para os de 2º e 1º kyu, os árbitros são pelo menos 2º dan.

  Atualmente, a avaliação do tempo de treino e do perfil moral do praticante é feito pelo responsável (acima do 3º dan) de cada dojo. Os tempos de treino entre os exames de graduação são conferidos pela diretoria, havendo convocação do responsável para esclarecimentos em caso de tempos excessivamente curtos.

  O Aikido é uma forma de treinamento do corpo e do espírito, sendo os treinamentos a parte mais importante. Apesar disso, é impossível treinar o espírito em períodos muito curtos de tempo e é por isso que existe um tempo mínimo de treino estabelecido.

  Nos exames, a quantidade de praticantes reprovados é pequena pois participam apenas os considerados aptos pelos responsáveis dos dojos. Por possuírem uma responsabilidade muito grande, os responsáveis por dojos devem ter pelo menos o 3º dan. Quando praticantes que não possuem o 3º dan (mas de preferência acima do 1º dan) abrem dojos, é necessário que em cada dojo exista um responsável técnico que seja pelo menos 3º dan. Este responsável técnico responde pela qualidade técnica e pelos exames, sendo administração do dojo de responsabilidade do proprietário. Caso haja problemas em exames, a responsabilidade será do responsável técnico.

  Por outro lado, os dans são concedidos a praticantes que tenham participado de um certo número de yudanshakais ministrados pelo shihan, que tenham um número de anos mínimo de treino e que tenham sido considerados aptos pelo responsável do dojo e pelo diretor técnico. Estes praticantes são avaliados tecnicamente por árbitros nomeados pelo diretor de árbitros, quando 1º ou 2º dan, por árbitros acima do 3º dan, quando 3º dan, por árbitros acima do 4º dan e quando 4º dan, por árbitros acima do 5º dan. Quando aprovados, estes recebem a graduação do Doshu da Aikikai do Japão por intermédio do diretor técnico. Ao mesmo tempo, são registrados como membros da Aikikai, recebendo o passaporte internacional de graduados válido em todo o mundo.

  Afora destas graduações adquiridas por exames, existem também as graduações por honra. Estas graduações são concedidas a praticantes que por estarem praticando por longos períodos com a mesma graduação, são reconhecidos os méritos e são dispensados de exame, ou quando o praticante, por ter idade avançada, observa-se que este não resistiria a um exame. Nestes casos, a decisão é feita pelo diretor técnico e pela diretoria.

  A partir do exame de graduação de dans de novembro de 1998 haverá alterações em algumas partes do exame. Até agora, todos os praticantes acima do 3º dan tinham o direito de serem árbitros de exames de dans. Com as alterações, os árbitros deverão fazer exames especiais. Em contrapartida, o exame para 3º dan será bastante facilitado. Havia praticantes que não prestavam o exame para 3º dan pois não tinham tempo suficiente para se preparar para um exame muito difícil e que não queriam ser examinados sem se preparar de forma adequada. Então, com o intuito de incentivar os praticantes que se esforçam nos treinamentos, foi facilitado o exame. Apesar disso, para se tornar um árbitro que avalia as qualidades técnicas de um graduando, é necessário que o árbitro possua um alto nível técnico. Para estas pessoas, haverá um exame especial. Os praticantes que já possuem o 3º dan não precisam fazer o novo exame pois estes já passaram pelos exames rigorosos aplicados até agora. Os que se tornarão 3º dan no futuro, deverão prestar o exame padrão para o 3º dan e os que quiserem se tornar um árbitro para dans, deverão fazer o exame especial.

  Como já disse no início, as graduações são concedidas pela avaliação das qualidades técnicas e pelo grau de afinco aos treinamentos. São concedidos para se tornar um incentivo ou um objetivo para o esforço nos treinos ou ainda para facilitar a administração dos dojos, e não medem todo o valor de um aikidoka é a área do retângulo formado pelos lados relativos à qualidade técnica, ao perfil moral e à graduação. A técnica é o mais importante no Aikido. Mas, mesmo que um praticante possua uma técnica bastante aprimorada, se este tiver um caráter problemático que não deixe aproximar os parceiros de treino, este não será um bom aikidoka. Também pelo fato de graduação se tratra de uma identificação do histórico do praticante como aikidoka, ela é necessária quando se participa da sociedade do Aikido. Em geral, as pessoas tendem a achar que apenas a técnica e a graduação são os valores de um aikidoca. Em artes marciais competitivas, a técnica torna-se o elemento principal, mas no Aikido, o mais importante são os treinos agradáveis, sendo portanto o caráter do praticante um elemento muito importante.

  Receber uma nova graduação é um fato feliz pois é um reconhecimento do esforço despendido, mas como dito até aqui, não é um fator decisivo. Sempre existe a adaptabilidade. Pode acontecer de praticantes com graduação inferior serem melhores em algumas técnicas. Praticantes têm facilidade em quedas ou em técnicas rápidas. Portanto, durante os treinos, deve-se esquecer as graduações e tentar um crescimento mútuo observando os pontos fortes do parceiro de treino. Não se deve pensar em ensinar só porque se possui uma graduação superior ou achar que se está certo só por ser um faixa preta. Os praticantes de graduação inferior devem respeitar os mais graduados como "sempai" e os mais graduados devem admitir o caráter dos mais inferiores, nunca se gabando por ser superior, objetivando um treino agradável. Não adianta ser bom na técnica se as pessoas sentem antipatia. O dojo é um lugar para suar de forma agradável.


FEPAI - Federação Paulista de Aikido - 2008 - Designer: kátia numakura